Mutirão intensifica ações de combate à dengue

Atualmente, reservatórios para captação de água da chuva estão entre os maiores problemas.


Empenhados em eliminar possíveis criadouros do Aedes aegypti, profissionais das Secretarias da
Saúde e Obras, Viação e Serviços Urbanos de Vista Alegre estiveram envolvidos, na tarde de terça-
feira, 22, em um mutirão de combate à dengue. A ação preventiva foi promovida pela
Administração municipal em razão do crescente número de casos da doença na região, embora não
haja nenhuma confirmação no município.
O grupo percorreu pátios de residências, terrenos e espaços públicos recolhendo para descarte
objetos que pudessem acumular água, como latas e vasilhas. Conforme a agente de combate a
endemias, Andreia Salete Alves, uma das principais preocupações em Vista Alegre são as cisternas
e os tonéis utilizados para captar água da chuva, inclusive, em menos de 10 minutos de roteiro, uma
das equipes encontrou larvas e pupas do mosquito em uma caixa d’água usada para armazenamento.
“O pessoal recolhe muita água da chuva sem tomar os devidos cuidados. Hoje, 95% dos nossos
problemas são relacionados a cisternas. Cada 500 litros de água deve receber um litro de água
sanitária semanalmente para tratamento. Fazendo a conta, são 4 litros de água sanitária por mês. Até
que ponto vale a pena coletar essa água, colocando a sua saúde e a dos vizinhos em risco?”,
questionou a agente de combate a endemias.
Na concentração de saída das equipes em frente à prefeitura, a secretária da Saúde, Carla Dall’Asta,
o prefeito Zairo Riboli e o vice-prefeito Rudinei Bridi realçaram a importância da atuação dos
profissionais para a saúde pública e a prevenção da dengue em Vista Alegre. No começo desta
semana, foi realizado o serviço de fumacê em bocas de lobo, arredores de residências e espaços
públicos da cidade visando ao combate de pragas urbanas, entre elas o Aedes aegypti.
Piscinas, calhas, lajes, caixas d’água e pratinhos de vasos de planta necessitam de cuidados
frequentes para evitar que virem criadouros do mosquito. Conforme o Ministério da Saúde, entre os
sintomas de dengue estão febre alta, mal-estar, falta de apetite, manchas vermelhas na pele e dores
de cabeça, atrás dos olhos, pelo corpo e nas articulações. Em caso de urgência, a secretária da
Saúde, Carla Dall’Asta, enfatiza que a Unidade Básica de Saúde Sadi Ottobelli é a referência para
os atendimentos primários no município, funcionando das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.